quarta-feira , 23 Maio 2018
Home » Empregos » Taxa de desemprego se mantém instável na região metropolitana de Porto Alegre

Taxa de desemprego se mantém instável na região metropolitana de Porto Alegre




Divulgação

O informe mensal de março da Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Porto Alegre (PED-RMPA) foi divulgado, em coletiva de imprensa, realizada na manhã desta quarta-feira, 25 de abril, na sede do Dieese, em Porto Alegre.

De acordo com os dados da pesquisa, a taxa de desemprego manteve-se estável: passou de 11,7%, em fevereiro, para 11,8% da População Economicamente Ativa (PEA), em março de 2018. A técnica do Dieese, Virgínia Donoso, detalhou que a taxa de desemprego de Porto Alegre era de 10% e a dos demais municípios que compõem a Região Metropolitana era de 12,7% em março. O contingente de desempregados na RMPA foi estimado em 219 mil pessoas e o de ocupados, em 1.640.000 trabalhadores. O tempo médio de procura por trabalho era de 44 semanas.

Em março, apenas o setor de serviços apresentou aumento de 1,2% no número de postos de trabalho, que representa acréscimo de 11 mil vagas. Por outro lado, houve redução no número de postos na indústria de transformação (menos 8 mil ou – 2,8%), construção (menos 6 mil ou – 5,2%) e no comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (menos 13 mil ou – 3,8%).



Também foi registrada queda no número de postos com carteira assinada (menos 12 mil ou – 1,3%), sem carteira (menos 5 mil ou – 0,5) e entre os trabalhadores autônomos (menos 3 mil ou – 1,2%). O número de empregados domésticos manteve-se relativamente estável (menos 1 mil ou – 1%) e o contingente de empregadores, donos de negócio familiar, trabalhadores familiares sem remuneração, profissionais liberais, etc, cresceu 2,6%, que representa acréscimo de 4 mil trabalhadores.

Em fevereiro, o rendimento médio real foi estimado em R$ 1.943, para o total de ocupados; R$ 2.003, para os assalariados; e em R$ 1.611, para os autônomos. A íntegra da pesquisa está disponível no site: http://www.fgtas.rs.gov.br/publicacoes.

O informe de março foi o último divulgado pelas instituições envolvidas na pesquisa. A coordenadora nacional do Dieese, Lúcia Garcia, destacou que a interrupção da PED-RMPA encerra um ciclo de 26 anos com muita dignidade, competência técnica e entendimento de que economia e conhecimento devem servir à ação.

A PED-RMPA era desenvolvida pela FGTAS, órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos; em parceria com a Secretaria do Planejamento, Governança e Gestão; em convênio com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e a Fundação Seade de São Paulo. Contava com apoio do Ministério do Trabalho e recursos financeiros do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).



Mais notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *